Como Ingressei na Área de Teste?

O ano era 2004. Naquela época eu trabalhava na área administrativa de sucursal de uma seguradora e estava preocupada com a minha vida profissional, pois faltavam 3 semestres para a minha formatura (2005/1). Até então, o máximo de contato que eu tinha tido com a área de TI era quando um colega da infraestrutura saía em férias e eu o substituía. Isso me angustiava demais, pois sabia que, após me tornar bacharel e ainda sem a vivência na área, as oportunidades ficariam mais restritas.

Certa vez conversando com uma colega (minha amiga até hoje) antes da aula, ela me contou que tinha saído do emprego efetivo e que tinha começado a fazer um estágio na área de Teste de Software. Eu achei que ela tinha sido corajosa por ter feito uma escolha dessas. Na realidade era o que eu mais queria fazer, mas me faltava justamente uma coisa: CORAGEM!

Passaram-se alguns meses após essa conversa e, quando me dirigia ao laboratório da faculdade, vi um anúncio de uma vaga de um estágio que não fazia muitas exigências de conhecimentos e experiências. Me interessei e anotei o e-mail para enviar um currículo, mas só que eu não fazia a menor ideia do que se tratava a oportunidade de estágio. Confesso que levei alguns dias para enviá-lo, mas menos de um dia após enviar o currículo, a secretária da empresa me contatou querendo marcar uma entrevista para o outro dia. Nossa… eu nem acreditei! Parecia que tudo estava conspirando a favor, pq justamente naquele dia seria o meu último dia de trabalho na seguradora após um acordo. Me enchi de esperanças, mesmo desconhecendo do que se tratava.

A empresa ficava no Parque Tecnológico da PUCRS (TecnoPUC) e a entrevista estava marcada perto do final da tarde, pois depois eu iria para o laboratório escrever um pouco do meu TCC. Quando cheguei na empresa, eu tive uma grata surpresa: o dono era meu colega em uma das disciplinas daquele semestre! Aí, ele me apresentou a empresa, que era uma empresa incubada (futuramente chamada start up), que havia surgido de um spin-off do Centro de Pesquisa em Teste de Software da Faculdade de Informática da PUCRS (CPTS). O CPTS tinha parcerias com as multinacionais HP e DELL, que estão instaladas no TecnoPUC. Também me explicou a respeito da oportunidade: era para trabalhar com Teste de Software na HP.

Pois bem… além da entrevista, fiz uma prova, que consistia em aplicar os testes na calculadora do windows, que estavam descritos em um plano de testes em inglês. Eu teria que reportar os bugs encontrados, também em inglês, contendo um passo-a-passo. E assim eu o fiz! Como sempre fui uma pessoa muito observadora e detalhista, reportei cada passo que havia feito para encontrar os bugs. Entreguei a prova e me disseram que entrariam em contato, caso eu teria sido a candidata escolhida, pois ainda tinham que entrevistar mais um candidato. Me dirigi para o laboratório para escrever um pouco mais do meu TCC, afinal logo em seguida eu iria encontrar a minha orientadora.

Para a minha surpresa (mais uma vez naquele dia) não demorou muito para receber um retorno do processo seletivo: eu tinha sido a pessoa escolhida para a vaga de estágio! Não acreditei!! Fiquei muito contente, pois um novo recomeço estava por vir. Um dia antes do dia combinado para o início na HP, eu passei por um breve treinamento na empresa. Este treinamento consistia na troca de experiência com os colegas que já estavam trabalhando na HP, de como funcionavam as coisas por lá e o que eu teria o que fazer.

Portanto, eu entrei na área de Teste de Software meio que sem querer! Até porque durante a faculdade eu havia me interessado pela a área de Auditoria de Sistemas e gostaria de trabalhar com isso. No final das contas, as duas áreas estavam relacionadas! Eu não fugi da Programação por não ter afinidade. Eu não tinha tido oportunidade de programar além das disciplinas do curso. A partir disso, eu teria um “novo mundo” para explorar…

Anúncios

Por que ter um blog?

Depois de pensar, pensar… relutar… pensar de novo, optei em ter um local aonde eu pudesse compartilhar um pouco das minhas experiências e, porque não, dilemas que tenho em torno da área que escolhi atuar. Podem estar se questionando: “Mas porque ela relutou em ter um blog?”. Bom… eu não queria ter “mais um blog” sobre Teste de Software.

Na realidade, o que me motivou a criar este espaço foi um post da Katrina the Tester, que foi repassado pelo meu amigo @GpaOliveira, sobre Women in Testing on Twitter. Achei super interessante e, ao mesmo tempo, me fez pensar na atuação feminina da comunidade brasileira de Teste de Software. Então, por que não fomentar uma maior participação feminina dentro da comunidade, não é mesmo? 😉

A minha ideia é ter uma abordagem sutil para assuntos mais técnicos, dúvidas sobre por onde começar, angústias e no que eu puder colaborar. Todas as contribuições serão bem-vindas! 🙂